Por que ler seu livro?

Num desses momentos de ócio criativo, tive uma idéia que – pelo menos para mim- pareceu interessante. Sempre tive a necessidade de dividir minhas impressões, idéias e meus livros com meus amigos mais próximos. Mas sempre pensei que talvez fosse parcial esta análise, invariavelmente eles achariam as impressões, idéias e meus livros interessantes, devido ao fato da amizade e da falta de compromisso com elementos mais específicos dos livros, por exemplo. Daí, tive a ideia de compartilhar essa vontade de ter meus livros lidos por pessoas diferentes- não inimigos necessariamente- mas pessoas distantes, isentas e que pudessem falar sem medo de uma repreensão ou da perda de uma amizade. Então estou disponibilizando esse espaço para colocar seu livro à prova. Comprometo-me a ler, resenhá-lo e criticá-lo; ou pelo menos dar uma opinião sobre seu trabalho. Depois dessa primeira fase, faço a divulgação no blog disponibilizando a capa e a resenha aprovada.

Interessado? Envie e-mail para fazer orçamento. e-mail: robertomunizdias@gmail.com

Anúncios

17 respostas para Por que ler seu livro?

  1. Ludmila Dias disse:

    ADOREI SUA INICIATIVA! 😀 Como posso enviar um PDF do meu livro?

  2. ppfsimoes disse:

    olá senhor Muniz, vou publicar o meu em breve. tem mais informações no meu blog, que por sinal ainda está em construção. http://ppfsimoes.wordpress.com/

    gostaria de lhe enviar uma cópia,

    como faria?
    email plinio_pj@hotmail.com

  3. Leonardo Zegur disse:

    Parabéns pelo seu trabalho, uma idéia bacana, um visual clean, um site cultural agradável de se navegar.

  4. Isa disse:

    Esta é a sinopse do livro que esta disponivel para leitura da obra na integra neste blog

    http://andaluz-meulivro.blogspot.com/p/andaluz-ii-sinopse-e-capa.html

    e o email:
    andaluz.meulivro@gmail.com
    ou meu email pessoal:
    isadocinho_20@hotmail.com

    Uma profecia, um destino, uma outra dimensão.

    Melissa, uma garota comum de dezessete anos, se vê completamente apaixonada por um cara absolutamente perfeito.
    Como toda garota insegura, apesar de sonhar acordada e dormindo com o tal garoto de nome incomum, Jeziel, nunca se imaginou tendo condições de atrair a atenção dele. Sem que ela soubesse, por um capricho do destino a vida deles estava marcada antes de nascerem para que ficassem juntos, e era exatamente isso que ele tinha vindo fazer no mundo de Melissa. Atravessou o portal que o trouxe de sua dimensão Andaluz e veio em busca de sua prometida que se uniria a ele, e unidos pelo amor teriam força para derrotar Cordomad, o traidor que tirou a vida de seus pais, os reis de Andaluz, se apossando do trono que pertencia a Jeziel, o príncipe herdeiro.
    Que Jeziel se apaixonou por Melissa não havia dúvida. Assim pensava o escudeiro de Jeziel, Ernest, seu tutor e que o criou em lugar de seus pais, esperando também pelo cumprimento da profecia. Ele via em Melissa uma garota Frágil, delicada, tímida de mais para ser considerada digna do trono de Andaluz, nada nela se parecia com a futura rainha que ele esperava. Beleza? Sim ela era muito bonita apesar de sua auto-estima não lhe dar essa certeza, mas mesmo reconhecendo que os dois se amavam, Ernest não estava tão seguro de que Jeziel teria finalmente encontrado sua prometida, pois Jeziel era dotado de Muitos e surpreendentes poderes, e Melissa não parecia poder controlar nem suas próprias emoções.
    Com uma história de amor marcada para acontecer sob uma guerra por poder em um mundo desconhecido, independente dos acontecimentos eles terão que lutar tanto juntos como separados para que a profecia se cumpra. Mas como todo amor verdadeiro, muitas barreiras se levantam contra eles. O que resta agora é saber se o amor deles é tão forte quanto deve ser para superar todos os obstáculos e vencer.

  5. Iris disse:

    Oi Roberto,

    Iniciativa excelente, gostei muito. Mas… e vc se disporia a ler textos avulsos também?
    Obrigada,
    Iris

  6. Prólogo – do meu livro O Segredo dos Girassóis que esta á venda na editora Ixtan( façam uma boa leitura e ob pela oportunidade).
    Espanha dezesseis de março de 1822.
    Estou com vinte e dois anos e vejo que minha vida acabou-se. Vivi nesta curta jornada terrena tudo o que uma pessoa com seus sessenta anos viveu ao longo de sua existência. Mas é claro que, em questão de sofrimentos, fui uma expert. Envelheci muito em três anos e meio aqui, enclausurada neste calabouço frio e escuro, onde fico relembrando os fatos e as situações vividas desde a minha mais tenra infância. Outro dia, pude ver meu reflexo em uma poça d’água que se acumulou no chão, causada pelas diversas goteiras que caem do teto. Quase não me reconheci. A maioria dos meus dentes caiu. Estou tão maltrapilha e suja! Eles quase conseguiram sujar, também, minha alma. Mas consegui separá-la do meu corpo, para que não fosse maculada pela perversidade humana.
    Sinto tanto frio; estou tão cansada e enfraquecida! As dores, antes insuportáveis, agora já parecem mais brandas. Já quase não sinto mais a minha perna. O cilício preso à minha coxa já parou a circulação, e a sensibilidade não é mais a mesma. Estou presa a este objeto há tanto tempo! Não me lembro exatamente de quanto tempo estou aqui. A princípio, para evitar a loucura e a perda de memória, fiz tracinhos nas paredes. Mas, com o tempo, fui me esquecendo até de me levantar para comer o pão e a água que me trazem.
    Temo não conseguir colocar neste diário tudo o que me ocorreu durante toda a minha existência. Tenho a esperança de um dia alguém me achar ou se lembrar de mim. Caso isso não venha a ocorrer, sei que minha amiga Juanita encontrará um meio deste diário chegar até às mãos de Maria. Quero que meus irmãos de alma saibam o que passei por amar e por não negar minhas origens. Deixo aqui registrados os horrores e as injustiças que aconteceram em minha vida, envolvendo pessoas consideradas acima do bem e do mal. Não aumentei e nem inventei absolutamente nada.
    As pessoas do tempo em que eu vivi se diziam com o poder de direcionar o destino de outras, só pelo simples fato de terem nas mãos um documento chamado Bula Papal, elas tornaram a minha vida e a de outras mulheres a mais miserável possível. Homens que se julgavam Deus ou mensageiros Dele. Seres humanos como eu, mas que pareciam viver em um mundo mental paralelo ao nosso. Parecia que, ao olharem uma mulher, viam nela outra forma de vida aparente. Suas formas de manipular a população eram tão convictas que causavam cegueira e histeria em massa – e, logo, uma espécie de aliança cega entre a população e os inquisidores se confirmou. Na verdade, a voz do povo não era a voz de Deus, mas sim a voz de um povo manipulado pela Santa Madre Igreja.
    Minha história é muito complexa. Se algum dia esse diário for encontrado e lido por outras pessoas, elas poderão ficar atordoadas e confusas com os relatos registrados aqui. Mas que fique bem claro que este é o meu diário. O diário da minha vida terrena, onde conto a minha trajetória como mortal, mulher, bruxa e como um ser humano esquecido pelo mundo contraditório. Nesta história de vida passada, faço aqui duas regressões e mostro o lado obscuro real da Inquisição. Conto como o preconceito contra as mulheres era superior ao sentimento maior: o amor verdadeiro. A religiosidade era usada para encobrir o lado negro dos sacerdotes. O dinheiro comprava e vendia tudo, até a alma humana. Os sacerdotes e seus monarcas seguidores fanáticos tinham uma única vontade: manter as mulheres submissas e a população humilde e sem cultura sob os seus pés. Mas, na verdade, os monarcas também eram marionetes destes discípulos do diabo. Pessoas que se mascaravam com uma bondade hipócrita, para não mostrarem a verdadeira face escondida debaixo de peles de cordeiros.
    Espero, em nome de Deus, que a humanidade um dia possa evoluir para o seu próprio bem. E que estas almas, ao encarnarem, também possam redimir-se destes pecados que cometeram contra a humanidade. Vivi em um tempo muito desequilibrado e hostil, em que mesmo os que tinham certo estudo viviam na ignorância e no flagelo espiritual. As pessoas não tinham o direito de ir e vir. As palavras, nem em pensamentos poderiam permanecer. Se eu pudesse, aconselharia todos a refletirem sobre seus atos e as consequências que podem advir deles. Amem como se hoje fosse a primeira vez. Esqueçam o passado, deixem as mágoas e quem os magoou para trás. Porque a única coisa que realmente importa é o amor e o perdão.
    Espero, minha querida Maria, que encontre este diário e que esta história da qual fez parte seja contada para todos os nossos irmãos e irmãs, de geração em geração. Tenho certeza de que não passei por todas estas coisas em vão. Aprendi muito com a senhora. Sua sabedoria, bondade e benevolência foram minha fonte de inspiração para eu estar aqui, hoje, lutando em registrar estas palavras.
    Lembra-se, Maria, de quando mais atrás me ensinou a agradecer a Deus por todos os segundos de nossas vidas, mesmo que eles fossem os últimos? Agradeço, sim, a Ele, mas nunca me esqueço da senhora. Minhas orações são para você, bem como meu amor e gratidão, minha amiga, minha mãe. Sim, pois a senhora foi a única mãe que conheci.
    Embora minha vida tenha sido tão curta, pude refletir e compreender que nunca devemos parar de lutar pelo que sonhamos e acreditamos. Sempre lutei e nunca temi ou me arrependo de ter chegado às últimas consequências. Nunca desisti do meu único e verdadeiro amor, embora ele tenha me traído e me abandonado. Nunca desejei mal a ele, mesmo sabendo que pode estar nos braços de outra mulher. Não odeio nem mesmo meus algozes, pois fazem parte da construção da minha história. Aceitei o dom da mediunidade graças à senhora, Maria, pois aprendi a ser responsável e mais humana. Sei que são curtos os meus dias aqui, minha cara amiga. Mas morro com dignidade e orgulho em saber que me assumo como sou: uma bruxa.
    A senhora ensinou-me que a responsabilidade de um médium dobra quando ele ensina alguma coisa a outra pessoa. Espero estar sendo coerente com as palavras aqui. Pois, assim como fui sua discípula, terei discípulos que ouvirão minha história e far-me-ão de exemplo. Sei desta responsabilidade e não quero ser uma lenda e nem um exemplo, pois também falhei. Apenas quero contar como tudo aconteceu comigo. Achei que, por amor, poderia superar os sofrimentos que me seriam impostos. Aprendi, com certeza o quanto o ser humano pode ser cruel em arquitetar uma forma de torturar o outro. A maldade do ser humano é infinita e sem igual. Guarde-me em seu coração minha amiga, pois estou levando-a em minhas lembranças.

  7. Adelmo L. Nunes disse:

    Parabéns pela ideia… Realmente excelente!… Gostaria de lhe enviar minha obra para sua avaliação. Qual o procedimento?

    • Estou por demais assoberbado com esta tarefa tão prazerosa amigo Adelmo. Por enquanto estou com meu trabalho suspenso devido a quantidade de trabalho acumulado. Mas fiquemos em contato. Assim que poder envio-te o endereço de minha caixa-postal.
      Atenciosamente,
      Roberto Muniz Dias

  8. Jsck disse:

    “Estou sendo caçado, devo me entregar, não posso fugir do meu passado,
    mas antes verei meu filho. “

    “O manto da escuridão na terra dissipou-se, sinto o metafísico, e sei que é
    possível o conhecer. Longe do que chamamos de civilização está guardada
    uma bela vivência. “

    Os palhaços são todos dramáticos.

    “Faça qualquer coisa, mas não pare de andar”.

    Ilhas Bourgeois

    Na rota para as magníficas Ilhas Marquesas, encontram-se ilhas onde o
    capital e a fortuna criaram um mundo de luxo, beleza e ostentação.

    Carbona é a grande ilha e a mais agitada, com intensa vida noturna,
    museus, grandes mercados, restaurantes e palácios. É uma cidade cantada
    em prosa e poesia.

  9. Quero te parabenizar por sua iniciativa, encontrar pessoas disposta a fazer esse trabalho e cada vez mais difícil, eu escrevi meu primeiro livro gostaria muito que lesse quando tiver um tempo em sua agenda. e seguindo seu exemplo me disponho a ler o trabalho dos meu caros colegas. quem tiver interesse me encontre no meu website : http://cristina-de-azevedo.webnode.com/

  10. Darlene Regina disse:

    Olá! Excelente ideia!
    Como posso enviar um pdf do meu livro? Gostaria muito de vê-lo analisado, resenhado, comentado pois acredito que uma opinião de fora é sempre construtiva!
    Grata pela atenção
    Darlene

  11. Willian Couto disse:

    Boa tarde!
    Como vai?

    Conheci seu blog a pouco. Gostei muito do seu trabalho e ficaria muito feliz em firmar uma parceria com meu livro.

    Segue as informações do livro:
    Sinopse:
    Cem páginas em branco de um livro de atas de capa preta, transformado em diário e chamado de Petrus por Capitu, a protagonista desta história.
    Nestas 100 páginas, Capitu terá a difícil tarefa de buscar sua salvação, e a cura para sua fúria e para sua tristeza, que a tornam prisioneira de um ódio cego e doentio.
    Tendo visto morrer, ao longo de sua vida, todas as flores que enfeitavam seus sonhos, Capitu terá de redescobrir que, mesmo que matem as flores, nada, absolutamente nada pode impedir o retorno da primavera.
    Uma história de violência e dor; mas também de perdão, de amor e de recomeço.
    Porque o dia sempre amanhece, não importa quão escura e fria tenha sido a noite que o precedeu.

    Será um imenso prazer ser lido e resenhado por você.

    Abraços!

    • Prezado William,

      Seria um prazer ler seu livro. Por enquanto estou sem minha caixa postal cujo endereço seu livro poderia ser enviado.Portanto, ainda estou segurando algumas leituras. Anotarei seu e-mail,e se assim que resolver esta questao, entrarei em.contao. Sigamos conversando.
      Obrigado.
      Roberto Dias

  12. Bom dia,

    gostaria de enviar meu livro pode ser em papel ou em pdf como preferir, para onde enviar? trata-se de um livro de contos, público alvo: senhoras de terceira idade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s